terça-feira, 18 de setembro de 2012

Campeão Brasileiro de 1983

"Para o Campeonato Brasileiro de 1983, Tita foi emprestado para o Grêmio e Nunes para o Botafogo. Peu, que seria outra opção na frente, trocou de rubro-negro, indo jogar no Atlético Paranaense. Foram contratados o ponta Robertinho, do Fluminense, e o centroavante Baltazar, o Artilheiro de Deus.

Ambos chegavam para tentar diminuir a dependência do time só dos gols de Zico. Baltazar havia sido revelado pelo Grêmio, onde jogou de 1980 a 1982. Teve uma rápida passagem pelo Palmeiras, e jogou toda a temporada de 1983 no Flamengo. Em 1984, foi para o Botafogo e daí foi para a Espanha, onde encerrou a carreira, depois de defender o Celta de Vigo e o Atlético de Madrid. Mas, no Flamengo, Robertinho e Baltazar não representaram a solução para o comando de ataque esperada pela diretoria. A solução para a frente acabou vindo das categorias de base, mais uma vez, através dos pés dos pontas Élder e Júlio César Barbosa, o primeiro destro e o segundo canhoto.

Mais uma vez com soluções caseiras, o Flamengo acabou se rearrumando e voltando a conquistar um título brasileiro, o segundo consecutivo e terceiro em sua história. E com uma formação já bastante alterada em relação ao time que lhe dera tantas glórias entre 1980 e 1982. A formação campeã da Libertadores e bicampeã brasileira tinha: Raul, Leandro, Marinho, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio e Zico; Tita, Nunes e Lico. A base que venceu o campeonato brasileiro de 1983 ainda era a mesma, mas Mozer, Andrade e Lico haviam perdido a titularidade, e Tita e Nunes já não estavam mais. O time do tricampeonato era: Raul, Leandro, Marinho, Figueiredo e Júnior; Vítor, Adílio e Zico; Élder, Baltazar e Júlio César Barbosa.


O Flamengo começou a embalar rumo ao título na segunda fase, quando venceu o grupo que ainda tinha Corinthians, Guarani e Goiás. Passavam dois às quartas de final. O rubro-negro venceu o grupo e se classificou ao lado dos goianos, e os dois paulistas foram eliminados. Nas quartas de final, eliminou o Vasco com uma vitória por 2 a 1 no primeiro confronto e um empate por 1 a 1 no segundo. O adversário na semifinal foi o Atlético Paranaense. A questão ficou praticamente resolvida logo no primeiro jogo, 3 a 0 no Maracanã. O time estava novamente na final, agora para duelar contra o Santos, de Pita, Paulo Isidoro e Serginho Chulapa. Na primeira partida, vitória por 2 a 1 dos santistas. A finalíssima era no Maracanã, e o Flamengo precisava vencer por dois gols de diferença. O placar foi inaugurado logo com 50 segundos de jogo, gol de Zico. Aos 39 minutos do primeiro tempo, Leandro ampliou. No segundo tempo, a vitória foi sacramentada com um gol de Adílio, aos 23 minutos. O Maracanã mais uma vez explodia de alegria e emoção. Porém, horas depois de levantada a taça, uma bomba: Zico anunciava que o Flamengo o havia vendido para a Udinese, da Itália. Encerrava-se a Era de Ouro". (A NAÇÃO, pgs. 134-135)

Veja também: Por quê a final entre Flamengo x Santos, em 1983, foi no Maracanã?

Nenhum comentário:

Postar um comentário